Desde que o surto do coronavírus foi considerado, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), uma pandemia e o primeiro caso foi confirmado no Brasil, a comunidade do autismo foi impactada diretamente. Com a proximidade do Dia Mundial da Conscientização do Autismo, no dia 2 de abril, vários eventos pelo país foram adiados pelas quarentenas deflagradas em diferentes municípios.
Nas últimas semanas, eventos foram cancelados em grandes capitais, como os municípios de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Goiânia (GO), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE) e Salvador (BA). Para não perder a data mais importante do ano na temática do autismo, eventos virtuais começaram a surgir, entre eles um congresso online, promovido pela Revista Autismo.




Com base no tema, o podcast Introvertendo liberou o episódio Coronavírus e o Autismo. No conteúdo, os podcasters autistas Luca Nolasco, Michael Ulian, Paulo Alarcón e Tiago Abreu trazem quatro pontos que ligam o surto do coronavírus com o autismo, entre eles o cancelamento massivo de eventos pelo país.
Além disso, os podcasters também abordaram a derrubada do veto do Benefício de Prestação Continuada (BPC) que, em seguida, foi novamente barrado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), o impacto na rotina e ansiedade de autistas e, por fim, charlatanismos antigos do autismo, como o MMS, agora revisitados no contexto do coronavírus.
Acerca das alterações de rotina, os podcasters observaram a dificuldade de se readaptar, e as prováveis diferenças dentro do espectro. “Para pessoas autistas leves é mais provável sim que é o melhor de ficar em casa, mas os severos parecem prezar muito mais pela rotina do que pelo isolamento. Talvez esse seja o ponto mais tenso da questão das crianças porque mesmo se eles tiverem a sua rotina, podem se tornar potenciais espalhadores da doença”, disse Paulo Alarcón.
episódio está disponível para ser ouvido em diferentes plataformas, como o Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts, e CastBox, ou no player abaixo.